Informativos
Informativos

Como criar um bom anúncio de imóveis à venda

Confira algumas dicas para otimizar seus anúncios imobiliários

 

A concorrência no mercado imobiliário fica mais acirrada a cada dia e, para negociar imóveis à venda, é importante estar ligado às novas tendências. Para não ficar atrás da concorrência, o corretor deve acompanhar os avanços tecnológicos e até setores que parecem estar distantes do ramo, como a internet e o marketing.

 

Atualmente, não basta colocar uma placa com o nome e telefone da imobiliária na casa e esperar que os consumidores entrem em contato. As divulgações feitas em jornais de grande circulação também vêm se tornando obsoletas. Portanto, entenda como você pode destacar seu anúncio perante a concorrência.

 

Mais da metade da população já tem acesso à internet em casa e ao menos 95,4 milhões de brasileiros acessam a rede mundial de computadores. Os smartphones e tablets trouxeram grande facilidade para as pessoas que adoram comprar ou pesquisar pela internet, e isso só tende a crescer. Portanto, um anúncio online de imóvel à venda ou para locação costuma ter grandes resultados, desde que ele tenha bom planejamento e excelente execução.

Dicas de como criar um bom anúncio de imóveis

Quem deseja criar um bom anúncio em plataformas imobiliárias deve entender a importância de dedicar tempo para isso. O perfil do consumidor e seu comportamento na jornada de compra mudaram. O que isso significa? Eles ficaram mais exigentes com relação às informações disponíveis sobre o produto e também para a facilidade de buscar e encontrar o que desejam.

 

Ter uma boa visibilidade na internet depende de diversos fatores e colocar um anúncio online e esperar que o cliente ligue pode não gerar tantos resultados. Com algumas dicas, é possível otimizar seu anúncio e fazer com que ele traga bons prospects para você.

1 – Elabore um bom começo de anúncio

Para escrever um bom anúncio, não é necessário ser especialista nisso. Seja objetivo, claro e, principalmente, verdadeiro nas informações, priorizando os dados mais importantes. Evite erros gramaticais e gírias.

 

Uma boa forma para saber se a descrição está otimizada ou não é imaginar que você é quem está buscando um imóvel e ler o que escreveu. Outro método é chamar uma segunda pessoa para fazer essa rápida análise. Se o conteúdo estiver interessante para ambos, certamente o consumidor também entenderá o recado.

2 – Preencha os campos básicos disponíveis

Ao incluir os imóveis em plataformas imobiliárias, é válido prestar atenção nos campos disponíveis para preenchimento. Quando uma pessoa busca um imóvel nesses sites, ela utiliza filtros e seu imóvel aparece conforme as informações fornecidas. Basicamente, os campos que devem ser preenchidos são:

 

  • Preço: valor de venda/aluguel, IPTU, condomínio – se for o caso.

  • Tipo de imóvel: apartamento, loft, casa, sobrado, kitnet, etc.

  • Área: metragem do imóvel – e do terreno, se necessário.

  • Espaço: quantidade de cômodos, quantos quartos, vagas na garagem, banheiro, etc.

 

Para ter ideia da importância de preencher corretamente os campos, algumas plataformas analisam o anúncio perante essas informações. O VivaReal, portal que conecta imobiliárias, incorporadoras e corretores, por exemplo, tem um “completômetro”, ferramenta que analisa as informações fornecidas pelo corretor e as que estão pendentes.

3 – Coloque o endereço do imóvel

Mesmo sendo um tema de discussão no mercado imobiliário, ao anunciar na internet não tem escapatória: é preciso colocar o endereço real e completo do imóvel. A chance de receber contatos mais qualificados aumenta e, consequentemente, a chance de conversão da venda é maior.

4 – Capriche nas fotos

Apenas uma foto do imóvel já não satisfaz mais o cliente. Hoje, até mesmo pela correria do dia a dia, o consumidor tem o desejo de adiantar o processo e ver tudo o que puder sobre o imóvel. Por isso, invista em fotos de qualidade. É recomendável que publique cerca de 15 imagens de todos os detalhes e cômodos do domicílio.

 

Não é necessário contratar uma equipe profissional para isso, mas é importante se atentar à qualidade das imagens, com boa iluminação, ambiente organizado, etc. Fotos e vídeos 360º também são boas ferramentas para chamar a atenção de potenciais consumidores.

5 – Divulgue o anúncio

De nada adianta ter um anúncio de imóveis perfeito se você não divulgá-lo. Além do site da sua imobiliária, inclua o anúncio em portais e também nas  redes sociais. Quanto mais lugares mostrarem seu anúncio, maiores as chances dele ser visto por quem deseja buscar um imóvel.

 

Use a criatividade, bom senso e se planeje para criar um bom anúncio de imóveis. E você, quais técnicas utiliza e acha certeira para que um anúncio de imóveis chame a atenção dos compradores? Conte para nós!

Configurando Outlook 2016

Atenção: É importante destacar que para este guia vamos utilizar dominios.com.br no local onde você deve inserir o SEU DOMÍNIO.

Abra o Outlook 2013

1. Se é a primeira vez que abre o Outlook desde a sua instalação, irá surgir de imediato uma janela a perguntar se pretende configurar uma conta de correio eletrônico. Diga que sim e clique em avançar.
Pule para o passo 3.

2. Se não é a primeira vez que abre o Outlook desde a sua instalação, não irá surgir nenhuma janela para configurar.
Para configurar uma nova conta de email clique em Arquivo e em Informações selecione Adicionar Conta como na imagem seguinte:

post-3485-006865700 1433328142

3. Irá aparecer a janela para Adicionar Nova Conta
Selecione a opção que diz Definir manualmente as configurações do servidor ou tipos de servidores adicionais.
Clique em Avançar

post-3485-027547100 1433328154

4. Irá aparecer a uma nova janela para Escolher o Serviço
Selecione a opção que diz POP ou IMAP
Clique em Avançar

post3

5. Irá aparecer uma nova janela para Adicionar Nova Conta de Correio Eletrônico
Os dados técnicos de que irá necessitar podem ser obtidos junto ao nosso suporte online (chat).
Basta entrar em contato conosco, informar o seu domínio e perguntar quais são.
Segue um exemplo abaixo:

* Em “Informações do Usuário”, no campo “Nome” insira o nome que irá aparecer quando enviar seus emails;

* Em “Endereço de Email”, insira o seu email completo, Ex.: cassia@dominio.com.br;

* Em “Informações do Servidor”, “Tipo”, selecione “POP3 ou IMAP” (Importante: Se você utilizar IMAP, no passo 7 a porta de entrada será 143);

* Em “Servidor de entrada de emails”, insira mail.dominio.com.br;

* Em “Servidor de saída de emails”, insira mail.dominio.com.br;

* Em “Informações do Login”, “Nome de Usuário”, insira seu email completo, cassia@dominio.com.br;

* Em “Senha”, a senha do seu email;

* Marque a opção Lembrar senha;

* Clique no botão “Mais Configurações…”

post4

6.Uma nova janela irá se abrir, “Configurações de email na Internet”;

* Na guia Servidor de Saída, selecione “Meu servidor de saída (SMTP) requer autenticação” e “Usar mesmas configurações do servidor de entrada de emails”;

post5

7. Na guia Avançado, altere a porta de saída SMTP para 26 (OBS.: Em alguns casos, a porta 26 pode não funcionar adequadamente, neste caso, utilize a porta 587);

Clique no botão “OK”, a janela irá fechar.

post6

8. Clique em Avançar;

9. Clique no botão “Fechar”.

7 erros comuns no mercado de venda de imóveis

Todo corretor sabe das batalhas que têm de enfrentar todos os dias. Por mais experiente que seja o profissional, um deslize aqui ou ali pode colocar os negócios em risco, e não é isso que queremos, certo? Existem hábitos e comportamentos no mercado de venda de imóveis que devem ser evitados para não tornarem-se uma ameaça para o fechamento da compra.

01 – Falar mais do que deve

Na hora da venda de imóvel é essencial que o corretor saiba ouvir o seu cliente. Eles devem informar quais as razões que o levaram a procurar uma residência. Ouça o que ele tem a dizer e o motive a falar. Tente usar as respostas dele a seu favor, pois assim terá maiores condições de oferecer aquilo que ele realmente procura. Não saber ouvir pode fazer com que ele fique ainda mais confuso e prolongue o tempo de negociação.

02 – Não oferecer um atendimento personalizado

É imprescindível que o corretor de imóveis entenda que cada cliente é diferente do outro. Consequentemente, o atendimento deve suprir as reais necessidades do consumidor, já que essa é uma das compras mais importantes da vida dele. Portanto, faça com que a experiência dele seja única. Use e abuse de novas tendências, participe de palestras e aprimore sua maneira de vender imóveis.

Para personalizar o atendimento, é importante conhecer quem é a pessoa que está interessada nos imóveis desde o primeiro contato. Por isso, invista em relacionamento e questione quais os meios que ele prefere ser contatado, quem irá ajudá-lo a decidir a compra do imóvel, qual a média de preço que ele busca, quais as características mais importantes que ele procura em um lar, entre outras perguntas semelhantes.

03- Não estudar os imóveis

Você irá lidar com residências o tempo inteiro, portanto, nada melhor do que conhecê-las. Estar preparado é a melhor opção para quem está em uma negociação, uma vez que, as pessoas na busca pelo imóvel ideal, desejam saber os benefícios que determinada casa ou apartamento trará. Venda os valores daquela propriedade e não apenas o imóvel em sua estrutura.

Claro que o corretor não saberá de cor e salteado as características de todos os imóveis com que trabalha, até porque são muitos. E dai entra a organização pessoal, para fazer planilhas, documentos, fichas ou outra técnica que possa ajudar a guardar as informações sobre os domicílios à venda. O seu papel como profissional vai bem além de simplesmente vender uma construção, abrange também orientar e tirar todas as dúvidas do comprador.

04- Não ter paciência

Uma das maiores qualidades que um corretor de imóveis deve ter ou desenvolver é a paciência. O tempo de decisão do cliente deve ser respeitado, mas isso também não quer dizer que você deve fazer apenas um contato com ele e aguardar, mas sim que deve entender o longo processo que uma negociação como essa passa e que comprar um imóvel não é algo que se decide do dia para a noite. Uma pessoa pode demorar até seis meses nessa busca.

05 – Superego

Qual é realmente a minha importância e função na vida desse cliente? Pense nisso antes de sair falando sobre qualquer coisa. É importante rever a sua postura e conseguir separar o lado pessoal do profissional. Claro que se tiverem algo em comum, algum gosto ou hobbie, vale comentar para que um laço se estabeleça entre cliente e corretor. Entretanto, você não deve querer aparecer mais do que o cliente.

Ficar falando sobre si, sobre suas próprias conquistas, esquecendo o desejo do cliente de encontrar um imóvel não é a melhor maneira para conduzir o negócio. Geralmente, o cliente que busca um lugar para morar espera agilidade por parte do profissional que está à frente da negociação e não quer ficar falando sobre diversos assuntos que não estejam relacionados a encontrar a casa dos sonhos.

06 – Trabalhar por obrigação

Essa, assim como todas as profissões, merece que o trabalhador ame o que faz, que ele realmente queira ajudar as pessoas à realizarem um grande anseio. Não se deve ser corretor apenas porque o mercado lhe ofereceu essa oportunidade, é necessário ser apaixonado por estar presente nesse passo tão importante da vida das pessoas.

07 – Não se atualizar

Suas ações ainda estão centralizadas nas mídias offline, como panfletos, placas e jornais? Se a resposta for “sim”, é melhor rever suas formas de divulgação. A internet já é um meio muito presente na vida da maioria das pessoas, por isso, estar atualizado nesse ramo é importante para que o seu negócio evolua junto com o mundo.

Os consumidores gostam de comodidade e praticidade, sendo assim, nada melhor do que pesquisar pela internet. Algumas dicas ajudam na hora de realizar a divulgação, como colocar uma boa descrição para que seus imóveis sejam encontrados com facilidade. Além disso, as imagens do domicílio auxiliam e muito na valorização das características do imóvel. O recomendável é que cada residência contenha 15 imagens em seu anúncio.

E você, o que já mudou e o que acha que um corretor pode mudar para melhorar sua relação com o cliente e efetivar suas vendas com mais tranquilidade? Conte para a gente!

8 dicas para um site de imobiliária aparecer no Google

Dicas SEO site

A concorrência no mercado de imóveis é grande e é preciso destacar-se para fazer bons negócios. Uma ótima forma para isso é fazer com que o site de sua imobiliária apareça  mais facilmente no Google, por meio de práticas de SEO (da sigla em inglês “Search Engine Optimization” ou otimização para mecanismos de buscas).

Indicamos a contratação de um profissional para fazer ou reformular seu site, com base nas técnicas de SEO, mas já adiantamos algumas coisas que precisam ser feitas nas páginas desde já.

1. Deixe o carregamento de seu site ficar o mais rápido possível

O Google prioriza sites que carregam rapidamente. Então, peça ao seu desenvolvedor para que evite implementar itens pesados, faça um site leve, bonito e com bastante conteúdo. Para saber a velocidade em que o seu site está carregando, uma ferramenta é o Google PageSpeed (https://developers.google.com/speed/pagespeed/insights/).

2. Crie um site que se adapte aos diferentes tamanhos de telas

Essa adaptação aos diferentes formatos de tela, tanto para computador quanto para dispositivos móveis (como tablet e smartphones), acontece quando o site é “responsivo”. Assim, o site fica acessível em qualquer tecnologia, além disso, o Google indexa melhor os sites responsivos.

3. Faça um título coerente com a página

Para as páginas e posts do seu blog, se tiver, crie títulos que correspondam aos conteúdos diretamente. Caso isso não seja feito, as pessoas que clicam para entrar na sua página por meio do Google, saem logo ao perceberem que não há o conteúdo procurado. Assim, o mecanismo de busca vai diminuindo a pontuação da página e até mesmo do site.

Outra dica quanto ao título é deixá-lo com cerca de 50 caracteres com espaço, pois o Google corta títulos muito maiores que isso. Além disso, deixe a frase mais procurada e relacionada ao conteúdo à esquerda – para seus conteúdos se destacarem nos buscadores.

4. Utilize uma palavra-chave ou mais no título, repita-a no conteúdo e acrescente sinônimos

Ao focar no conteúdo, utilize uma palavra-chave (por exemplo, “aluguel de imóvel”), no título e também no primeiro parágrafo. Você pode pesquisar qual é o termo mais buscado no Google Trends (www.google.com.br/trends), uma ferramenta que permite comparar o volume de buscas das palavras e termos no Google. No restante do texto, você pode usar sinônimos para construir novos termos.

5. Deixe a URL (endereço) com o título escrito

Os mecanismos de busca leem melhor as URLs que estejam com as palavras do título da página. Por exemplo, se o post de um blog tem o título “Alugar imóveis no Rio de Janeiro”, o final do endereço da página deverá ser “/alugar-imoveis-no-rio-de-janeiro” (antes disso, pode ter a URL do seu site). Veja a URL deste post lá na barra do seu navegador, ela estará com as mesmas palavras do título: www.cesarweb.com.br/8-dicas-para-um-site-de-imobiliária-aparecer-no-google. A maioria dos sistemas de postagens (como o WordPress), gera a URL baseada no título automaticamente.

6. Use palavras que são bem buscadas e comuns em sua área

Se você é do ramo imobiliário, provavelmente precisará usar as palavras-chaves “imóveis”, “imóveis à venda”, “imóveis para alugar”, etc. Novamente, você pode pesquisar no Google Trends quais são as palavras e termos que mais têm volume de busca. Quando descobrir quais são elas, use-as nos conteúdos de suas páginas e textos.

7. Tente criar um blog e atualize-o sempre

Criar um blog e atualizá-lo ao menos uma vez por semana, com assuntos referentes ao seu segmento, ajuda sua marca a ganhar credibilidade no mercado e com o seu público-alvo. Além disso, é um ótimo meio para aumentar conteúdo e, com isso, melhorar seu posicionamento no Google – afinal, quanto mais conteúdo, melhor para o SEO. Se o seu site já está otimizado, talvez seja o momento de criar um blog para potencializar seus resultados!

8. Anuncie um imóvel em uma página ou post do seu site

Faça isso para todos os imóveis disponíveis e use as palavras-chaves no título e no conteúdo deles. Por exemplo: “Casa para aluguel em Nova Friburgo (RJ) – 3 quartos, 80m²”.

Não se esqueça de incluir todas as informações possíveis nesses anúncios: muitas fotos (15 no mínimo), que mostre todos os cômodos; valor do aluguel, condomínio (se houver) e IPTU; cômodos com o número de quartos, banheiros, vagas na garagem, etc; áreas do condomínio; localização; descrição detalhada; entre outras informações.

Seguindo essas dicas, o seu site ficará mais otimizado para o Google e outros mecanismos de busca, o que pode gerar mais vendas e locações e imóveis.

Você já está praticando algumas estratégia de SEO em seu site? Comente!

Para que serve uma hashtag?

O advento da internet trouxe algumas inovações para a modalidade escrita, entre elas, o emprego da hashtag. Mas, afinal, para que serve uma hashtag?

Há alguns anos, com o advento e popularização da internet, fomos apresentados a um novo tipo de linguagem específico da área da informática. Muitas inovações foram parar nos mais conceituados dicionários da língua portuguesa, que anexaram verbetes até então tidos como estrangeirismos, como o verbo “deletar”, oriundo da palavra “delete”, que, em inglês, significa “apagar”. Um novo universo de possibilidades linguísticas nos foi apresentado, e com ele surgiram também muitas dúvidas!

Quem, vinte anos atrás, identificaria de imediato o símbolo “@”? A “arroba”, que antes era apenas um símbolo mercantil empregado para substituir a palavra da língua inglesa at, hoje é utilizada para indicar a localização de endereços de correio eletrônico, ou seja, de e-mails. Além dela, outro símbolo tornou-se ainda mais popular, a “#” (hashtag, que é mais popularmente conhecida na língua portuguesa como “jogo da velha” ou “cerquilha”). Antigamente, as hashtags serviam apenas para acionar recursos adicionais em telefones fixos e móveis, mas hoje elas ganharam uma nova significação, principalmente para quem usa as redes sociais.

Muitas pessoas, menos íntimas dos símbolos da informática, perguntam-se: “Afinal, para que serve umahashtag?”. Na informática, a inspiração para usar o símbolo veio do IRC (Internet Relay Chat), um tipo de protocolo de comunicação utilizado na rede para bate-papos e trocas de arquivos. No IRC, você inicia uma mensagem com a # e adiciona o nome do canal para indicar que ela pertence a certo grupo ou assunto. Inicialmente era essa a sua função: indexar um tópico ou assunto nas redes sociais com o objetivo de permitir o acesso de todos a uma determinada discussão, já que, ao clicar nas hashtags, elas transformam-se em hiperlinks (hiperligação de um texto a outros documentos, resultando em um hipertexto).

Pareceu confuso? Vamos então a um exemplo de uso da hashtag: Vamos supor que, nesta data, cientistas divulgaram a cura da AIDS. Rapidamente a notícia espalhou-se no mundo virtual, e usuários das mais diversas redes sociais começaram a compartilhar opiniões sobre o assunto utilizando a seguinte hashtag:#curadaAIDS. Dentro de poucos minutos, o assunto é identificado como o mais discutido na rede graças ao uso do símbolo #, que permite que ele seja indicado como elemento de um grupo ou assunto. Ao clicar nahashtag compartilhada por um amigo, seja no Twitter, no Instagram ou no Facebook, você é redirecionado para uma nova página, na qual tem acesso a todos os comentários que utilizaram #curadaAIDS, podendo, assim, ficar informado sobre a discussão.

uso-da-hashtag

Quando iniciamos uma mensagem com o símbolo “#”, indicamos que ela pertence a um grupo ou determinado assunto para o qual ela será indexada

Mas por que será que algumas pessoas utilizam a hashtag inadvertidamente? Não é incomum encontrar postagens recheadas de hashtags empregadas fora de seu propósito original, não é verdade? Elas não são parte de nenhum assunto muito comentado no Brasil ou no mundo, no entanto, estão lá, marcando presença em uma postagem sobre uma viagem, uma festa com os amigos ou outras experiências bem pessoais (#partiuacademia). Acontece que, quando utilizadas assim, sem nenhum motivo aparente, ashashtags transformam-se em verdadeiras vilãs da língua portuguesa! Quando as hashtags entram pela janela, todos os sinais importantes de nossa língua portuguesa saem pela porta! Todos: o til, o acento agudo, o acento circunflexo e até mesmo os sinais de pontuação saem de cena para que o dinamismo da escrita (característica muito comum à informática) seja privilegiado.

O emprego indevido ou exagerado das hashtags faz com que elas endossem um assunto que vem sendo discutido há algum tempo pelos linguistas: a importância da língua padrão nos meios eletrônicos. A velocidade e o dinamismo da comunicação, elementos inerentes à linguagem da internet, colocam as regras da gramática tradicional em segundo plano. Ortografia, sintaxe e outras partes constituintes da língua são preteridas para que os usuários possam se comunicar com maior agilidade. Até aí tudo bem, vide a existência das variantes linguísticas, importante fator que deve sim ser considerado. Contudo, infelizmente, os mais incautos acabam cometendo um erro muito comum: a inadequação linguística.

Saber utilizar a linguagem nas diferentes situações comunicacionais é indispensável. O ideal é que sejamos poliglotas em nossa própria língua. Se para divulgar uma hashtag é preciso dispensar as regras da gramática, tudo bem, mas não vale transferir a linguagem própria da informática para textos formais, cujo objetivo passa longe das conversas informais que travamos nas redes sociais. O uso exagerado dashashtags propicia a disseminação de situações confusas, mensagens que, de tão desconexas, transformam-se em um verdadeiro desafio para a compreensão humana, visto que não estão amparadas por qualquer tipo de pontuação ou acentuação, elementos que facilitariam a vida do leitor. Portanto, o ideal é ter bom senso e utilizar as hashtags de acordo com sua funcionalidade. Você quer provocar um efeito de humor com suas #s? Ok, mas cuidado para não ser incompreendido, afinal de contas, quem se comunica sempre espera que o interlocutor entenda sua mensagem, não é verdade?